Sérgio de Carvalho

Três peças da Companhia do Latão [box especial]


No box "Três peças da Companhia do Latão", a Temporal lança, em edição inédita e especial, as peças: "Os que ficam", "O pão e a pedra" e "Lugar nenhum". As obras são de autoria do dramaturgo Sérgio de Carvalho, em colaboração com o grupo teatral Companhia do Latão, e lançam olhar sobre o Brasil das décadas de 1960, 1970 e 1980, a partir de perspectivas, personagens e episódios distintos

R$ 145

ADQUIRA

O livro

FICHA TÉCNICA

Gênero Teatro
Formato 14 x 19 x 3,3 cm
Páginas 144; 176; 232 pp.
Peso 1,27 kg
ISBN 978-85-53092-06-2
Ano de lançamento 2019

No box Três peças da Companhia do Latão, a Temporal lança, em edição inédita e especial, as peças: Os que ficam, O pão e a pedra e Lugar nenhum . As obras são de autoria do dramaturgo Sérgio de Carvalho, em colaboração com o grupo teatral Companhia do Latão, e lançam olhar sobre o Brasil das décadas de 1960, 1970 e 1980, a partir de perspectivas, personagens e episódios distintos.

As três edições aqui apresentadas reúnem textos de Apresentação às peças, por Sérgio de Carvalho. Além de Notas sobre o processo de montagem, de autoria de Julián Boal (Os que ficam), Helena Albergaria (Lugar nenhum) e Maria Lívia Goes (O pão e a pedra), na seção “Anexos”, o leitor encontra Ficha técnica de estreia de cada uma das produções, Partituras das canções compostas para trilha sonora e Sugestões de estudo sobre a Companhia do Latão e os diversos temas aos quais cada uma das peças se refere.

Ilustradas por fotografias das montagens, as edições ainda reúnem textos complementares assinados por pensadores contemporâneos familiarizados com a produção teatral da Companhia do Latão, que têm por objetivo inserir o leitor no universo do grupo e trazer diferentes olhares para as questões que os textos dramatúrgicos suscitam.

A professora aposentada da Universidade de São Paulo Iná Camargo Costa assina Posfácio em Os que ficam. Em Lugar nenhum, o texto é assinado pela jornalista e psicanalista Maria Rita Kehl. Por fim, O pão e a pedra conta com Posfácio assinado pelo editor e jornalista Mario Sergio Conti.

Por que ler as peças?

Embora as peças não constituam uma trilogia e possam ser lidas individualmente – todas igualmente prazerosas, esclarecedoras e questionadoras –, juntas, elas esboçam um amplo panorama do Brasil que se transforma a partir da década de 1960 e permitem identificar diversos problemas do país atual sob chave crítica. Se Lugar nenhum desconforta o leitor com seus personagens alheios à realidade, O pão e a pedra, por sua vez, suga quem o lê para dentro da vida de milhares de trabalhadores brasileiros. Ou, ainda, enquanto em Os que ficam vê-se uma classe artística que se dispõe até as últimas consequências para fazer teatro, os artistas de Lugar nenhum mostram-se preocupados apenas com suas próprias questões existenciais.

Com destaque para o conjunto de quadros que se apresentam nas dramaturgias deste box, Três peças da Companhia do Latão constitui uma rica janela de análise para a sociedade brasileira.

 

O autor

Sérgio de Carvalho é dramaturgo, encenador e pesquisador de teatro. É diretor do grupo teatral Companhia do Latão, fundado em 1997. Professor na área de dramaturgia na Universidade de São Paulo, atua no departamento de artes cênicas da Escola de Comunicações e Artes desta universidade desde 2005.

Tem graduação em jornalismo, mestrado em artes cênicas (1995), doutorado em literatura brasileira (2003) e livre-docência em dramaturgia (2017).  Foi professor de teoria do teatro na Unicamp entre 1996 e 2005 e colaborou com diversos veículos de comunicação, sendo cronista do jornal O Estado de S. Paulo. Realizou conferências na Casa Brecht de Berlim (2008), na Goethe Universidade de Frankfurt (2009) e em centros culturais da Argentina, Cuba, Espanha, Grécia, México e Portugal. Foi premiado como encenador pela União dos Escritores e Artistas de Cuba pela montagem de O círculo de giz caucasiano, de Brecht, em 2008. Entre seus muitos espetáculos estão O nome do sujeito (1998), A comédia do trabalho (2000), Ópera dos vivos (2010) e O pão e a pedra (2016). Editou as revistas de cultura Vintém e Traulito. Dirigiu também shows de música e filmes, como Senhorita L ou Valor de troca, para a TV Cultura, em 2007.

Sérgio de Carvalho © Nino Andrés