David Hare

O poder do sim


Nesta peça, o célebre dramaturgo britânico David Hare desvenda as impetuosas decisões por trás do modelo econômico capitalista que levaram à crise financeira de 2008 e seus ecos nos dias atuais

R$ 60

ADQUIRA

O livro

FICHA TÉCNICA

Gênero Teatro
Formato 14 x 19 cm
Páginas 184 pp.
Peso 215 g
ISBN 978-85-53092-08-6
Ano de lançamento 2020

Em 15 de setembro de 2008, o banco de investimento estadu­nidense Lehman Brothers foi à falência, marcando o início da maior e mais recente crise financeira mundial. A fim de entendê-la, o National Theatre de Londres encomendou ao dramaturgo britânico David Hare uma peça sobre o assunto, e assim surgiu O poder do sim. Fazendo-se personagem de sua própria obra, o autor imiscui-se entre figuras-chave do mercado financeiro – banqueiros, economistas, acadêmicos, jornalistas, etc. – a fim de examinar, em detalhes, as causas que levaram o sistema capitalista a colapsar naquela data. Se o tema a princípio parece complexo e distante do univer­so de grande parte dos leitores, a dinamicidade dos diálogos e a desfaçatez dos personagens nos envolvem, num crescen­do, ao longo dos nove quadros que constituem este drama. Estreia de David Hare para o público brasileiro, O poder do sim: um dramaturgo procura entender a crise financeira reitera sua fama de grande dramaturgo social da atualidade, além de questionar quão catastróficas podem ser as conse­quências da permissividade ao capital financeiro. 

Esta edição traz prefácio assinado pela pesquisadora e professora Anna Stegh Camati, e posfácio de autoria da pesquisadora, economista, e também professora, Leda Maria Paulani, além da seção “Anexos”, que inclui a Ficha técnica da estreia, Notas biográficas sobre os personagens e um Glossário de termos, personalidades e instituições financeiras, a fim de contextualizar o leitor brasileiro e aprofundar seus conhecimentos tanto sobre os vocábulos citados na obra como em relação ao universo financeiro em si. A tradução é de Clara Carvalho, que também é diretora e atriz integrante do núcleo artístico do Grupo Tapa. 

Instigante, [...] esta peça prova mais uma vez que o teatro tem a capacidade de ensinar com prazer e dar sentido ao mundo [...]. Hare tem o instinto primordial de um jornalista de alta categoria. Ele faz as perguntas das quais todos nós queremos as respostas.

— The Guardian

O autor

David Hare nasceu em Sussex, Inglaterra, em 1947. Dezesseis de suas peças foram produzidas pelo National Theatre, incluindo uma trilogia sobre a Igreja, a Lei e o Partido Trabalhista – Racing Demon, Murmuring Judges e The Absence of War –, que entrou em repertório no Olivier Theatre mais tarde, em 1993. Dez de suas peças mais conhecidas, incluindo Plenty (1978), The Secret Rapture (1988), Skylight (1995), Amy’s View (1997; encenada no Brasil em 2001 com o título Ponto de vista), The Blue Room (1998), The Judas Kiss (1998), Via Dolorosa (1998) na qual atuou – e The Vertical Hour (2006) também foram apresentadas na Broadway. Seus mais recentes roteiros para o cinema foram As horas (2002) e O leitor (2008).

© Faber & Faber