Sérgio de Carvalho

O pão e a pedra


Em 1979, mais de setenta mil trabalhadores ocuparam o estádio de futebol da Vila Euclides, em São Bernardo do Campo, para debater a greve que, entre paralisações e tréguas, durou sessenta dias. Quarenta anos depois, em 2016, a publicação de "O pão e a pedra" traz à cena os principais agentes daquele momento histórico

R$ 60

O livro

FICHA TÉCNICA

Gênero Teatro
Formato 14 x 19 cm
Páginas 232 pp.
ISBN 978-85-53092-05-5
Ano de lançamento 2019

Em 1979, mais de setenta mil trabalhadores ocuparam o estádio de futebol da Vila Euclides, em São Bernardo do Campo, para debater a greve que, entre paralisações e tréguas, durou sessenta dias. Quarenta anos depois, a publicação de O pão e a pedra traz à cena os principais agentes daquele momento histórico: o “novo sindicalismo”, a igreja católica progressista e o movimento estudantil de esquerda.

Escrita em 2016, a peça da Companhia do Latão aborda a greve no ABC paulista sob o ângulo daqueles trabalhadores que aprendiam com o engajamento político e lutavam contra a opressão patronal e policial em meio ao embate cotidiano com a vida coisificada.

De alto valor documental, O pão e a pedra permite discutir ainda outras questões, como a desigualdade salarial entre homens e mulheres, o retorno do imaginário religioso à política brasileira, o destino do movimento trabalhista, além de escancarar a reflexão sobre o versículo que a intitula: “Quem dentre vós dará uma pedra a seu filho, se este lhe pedir pão?”.

A edição da Temporal possui Apresentação de Sérgio de Carvalho, Posfácio de Mario Sergio Conti e Notas sobre o processo de Maria Livia Goes, além de fotografias da montagem. Ainda, a publicação reúne, na seção Anexos, a Ficha técnica da estreia, as partituras compostas para a peça e Sugestões de estudo para o leitor interessado dar continuidade a pesquisas relacionadas.

O autor

Sérgio de Carvalho é dramaturgo, encenador e pesquisador de teatro. É diretor do grupo teatral Companhia do Latão, fundado em 1997. Professor na área de dramaturgia na Universidade de São Paulo, atua no departamento de artes cênicas da Escola de Comunicações e Artes desta universidade desde 2005.

Tem graduação em jornalismo, mestrado em artes cênicas (1995), doutorado em literatura brasileira (2003) e livre-docência em dramaturgia (2017).  Foi professor de teoria do teatro na Unicamp entre 1996 e 2005 e colaborou com diversos veículos de comunicação, sendo cronista do jornal O Estado de S. Paulo. Realizou conferências na Casa Brecht de Berlim (2008), na Goethe Universidade de Frankfurt (2009) e em centros culturais da Argentina, Cuba, Espanha, Grécia, México e Portugal. Foi premiado como encenador pela União dos Escritores e Artistas de Cuba pela montagem de O círculo de giz caucasiano, de Brecht, em 2008. Entre seus muitos espetáculos estão O nome do sujeito (1998), A comédia do trabalho (2000), Ópera dos vivos (2010) e O pão e a pedra (2016). Editou as revistas de cultura Vintém e Traulito. Dirigiu também shows de música e filmes, como Senhorita L ou Valor de troca, para a TV Cultura, em 2007.

Sérgio de Carvalho © Nino Andrés