- teatro, dramaturgia brasileira, história do teatro

Uma breve discussão sobre o teatro de temática indígena de Márcio Souza

Na primeira quinzena do mês de setembro, convidamos a atriz, pesquisadora e arte-educadora Howardinne Queiroz para compartilhar conosco parte de seus estudos sobre a tradição teatral brasileira do norte do país. No texto, a autora comenta a trajetória do grupo TESC, de Manaus, com foco no tratamento da temática indígena pelas mãos do dramaturgo Márcio Souza e a contribuição de suas obras para os debates pós-coloniais

- dramaturgia brasileira

Desemprego e precarização do trabalho no teatro de Plínio Marcos

Nesta quinzena, trazemos para o Blog da Temporal um trecho da peça “Quando as máquinas param” (1967), de Plínio Marcos. Como em muitas de suas obras, os personagens da peça são trabalhadores do chamado subproletariado, isto é, aqueles que vivem na marginalidade, na informalidade e em condições precárias de trabalho, sem qualquer estabilidade

- dramaturgia brasileira, espetáculos

O jogo teatral em estado pleno

Em artigo veiculado no “Jornal do Brasil”, em 1984, o crítico Macksen Luiz analisa o espetáculo “Mão na luva”, apresentado por Marco Nanini e Juliana Carneiro da Cunha, e dirigido por Aderbal Freire Filho, e comenta as particularidades e as aproximações entre este texto e as demais obras do conjunto de Oduvaldo Vianna Filho

- teatro, dramaturgia internacional

O teatro documental de Peter Weiss em um trecho de Marat/Sade

Nesta quinzena, trazemos para o Blog um trecho da peça "Perseguição e assassinato de Jean-Paul Marat representados pelo grupo teatral do hospício de Charenton sob a direção do senhor de Sade", escrita a partir de 1963 pelo dramaturgo alemão Peter Weiss e estreada no ano seguinte em Berlim Ocidental

- dramaturgia brasileira, história do teatro, política

Sobre "Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come"

Como parte da Ocupação Vianinha, projeto da Temporal para incentivar a leitura e a interpretação de obras de Oduvaldo Vianna Filho, nesta quinzena, o escritor, compositor e professor da UnB Fernando Marques traz para o Blog trecho de sua análise da peça Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come, parceria entre Vianinha e Ferreira Gullar