- dramaturgia latino-americana

A utopia dos estudantes chilenos em uma cena de Andrés Kalawski

Nesta quinzena compartilhamos um trecho da oitava cena de Diez mil cosas [Dez mil coisas], peça do dramaturgo chileno Andrés Kalawski Isla. Tematizando os acontecimentos do movimento estudantil chileno entre 2011–12, a ação da peça busca compreensão do contexto político-social sem, no entanto, valer-se de explicações teóricas ou didatismos. Um dos expoentes do teatro latino-americano contemporâneo, Kalawski faz uso de uma linguagem simples e ao mesmo tempo profunda, mobilizando episódios reais, para ampliar os sentidos e levar ao primeiro plano a experiência humana em si e sua relação com a ideologia e o amor.

O salão do restaurante aos poucos vira uma outra coisa. A cortina sempre para baixo. Uma outra coisa é usada como mesa, as mesas são usadas como outra coisa. Algumas roupas penduradas. Uma ou outra caixa. Salvador e Miriam no fim de uma refeição. Salvador pega seu prato e começa a se levantar. Miriam se antecipa e pega os dois pratos.

Miriam Deixa. Eu levo.

Salvador Vou tirar as roupas, então.

Miriam Você não comeu nada.

Salvador Não estou com muita fome.

Miriam Não sabia que você era tão fresco. Dá um dó jogar fora.

Salvador Que ideia é essa. Mais tarde eu como.

Miriam Tá.

Salvador Arrumei a placa da despensa.

Miriam Tá. (Começa a sair para a cozinha. Para) Nem almoçar você almoçou.

Salvador Nada a ver.

Miriam Faz quanto tempo que você está tirando os pratos?

Salvador Estou tentando ajudar.

(Miriam põe o prato diante de Salvador)

Miriam Vamos ficar aqui até que você coma.

Salvador Tá bom, mamãe.

Miriam Não é engraçado. Come.

Salvador Não.

Miriam Você está doente?

Salvador Estou tentando ser coerente.

Miriam Não estou entendendo.

Salvador Isso.

Miriam São os temperos? Também me dão enxaqueca. Muito tempo na despensa. Parece que grudam na pele.

Salvador Não, não.

Miriam Está te fazendo mal, é bom você não ficar mais lá.

Salvador Eu gosto dos temperos.

Miriam E então? Você está me tirando?

Salvador É superssério. Estava pensando em como te dizer.

Miriam Quanto tempo faz que você não come?

Salvador Também não exagera, tem um método. Outros companheiros fizeram isso. É uma forma de protesto.

Miriam Você está mal da cabeça.

Salvador Você falou que eu não sei o que é fome.

Miriam Nunca disse isso.

Salvador É verdade. Não tenho como entender o sofrimento se eu não vivi.

Miriam Você está me tirando.

Salvador Me ajuda.

Miriam Não pretendo passar fome.

Salvador Não. Não quero isso.

Miriam Você precisa comer.

Salvador Fiquei aqui. Não voltei com os companheiros.

Miriam Também estou aqui.

Salvador A gente deu conta.

Miriam E foi bom.

Salvador Eu tinha uma causa.

Miriam As marchas.

Salvador Não é as marchas. É transformar as coisas.

Miriam Você quer passar fome de propósito?

Salvador Posso fazer a diferença.

Miriam As coisas são como são.

Salvador Tem razão. Não é a idade. Na minha idade você já estava derrotada.

Miriam Você tinha casa.

Salvador Você tinha mais razões pra se revoltar.

Miriam Eu queria sair, queria ir ao mar.

Salvador Tinha gente morrendo e você não fez nada.

Miriam Eu tinha que me sacrificar? Jogar pedras, esconder pessoas?

Salvador Agora também tem gente morrendo. Você está vendo a injustiça e não está fazendo nada.

Miriam É outra coisa. É gente vadia. É gente má.

Salvador Como você pode dizer isso?

Miriam Ninguém me ajudou. Não tenho por que ajudar ninguém.

Salvador Vou fazer isso por todos que precisam.

Miriam Ninguém liga se um ou outro morre.

Salvador Eu ligo.

Miriam Deixa os outros na deles. Cada um sabe o que faz.

Salvador E eu quero fazer isso.

Miriam Você é muito novo.

Salvador Você sempre fala para eu decidir.

Miriam Você está doente. Esse é o problema.

Salvador Vou poder continuar trabalhando e tudo mais.

Miriam Vou te enfiar a comida pela garganta, nem que seja à força.

Salvador Não consigo sozinho. Preciso de você.

Miriam Não posso ver você sofrer.

Salvador Essa é a ideia. Como as coisas da TV. Vão querer parar meu sofrimento. Vão transformar as coisas.

Miriam Um dia, três? Uma semana? Não, você está mal.

(Salvador pega na mão dela)

 Trecho de Andrés Kalawski, Diez mil cosas. Santiago: Consejo Nacional de la Cultura y las Artes, 2013. Publicaciones Cultura.


Últimos posts