- dramaturgia internacional, política, economia, história mundial

O poder de David Hare

A cada início de ano, com frequência, avaliamos eventos do passado com o intuito de pensar o futuro; o que aprendemos com esses acontecimentos e de que forma eles ainda ecoam no presente? É esse o movimento que a jornalista Larissa Linder realiza no primeiro texto de 2022 do Blog da Temporal: uma viagem aos episódios que culminaram na crise dos mercados que marcou, em escala global, o ano de 2008. Especializada em economia, Larissa tanto aborda o texto de David Hare publicado pela Temporal, O poder do sim, quanto o contexto do livro, de maneira jornalística, aproximando-se do teatro documental que marca a produção do autor

- literatura alemã, dramaturgia internacional

O desconexo

Botho Strauss, embora já tenha sido publicado no Brasil, por muitas vezes permaneceu incógnito. Por ocasião de seu aniversário, que se comemora em 2 de dezembro, a Temporal pretende esmiuçar a personalidade do autor de "Trilogia do reencontro". O Blog traz, nesta quinzena, o depoimento de Heinz Strunk, organizador alemão responsável por coletar e reunir escritos de Strauss em uma antologia, para a qual escreveu o seguinte texto como posfácio. Neste, é possível identificar interessantes elementos do estilo de Strauss, mas há um alerta: “só é possível conhecer este escritor de fato através de um livro”.

- dramaturgia brasileira, teatro

Entre a instabilidade e a melancolia: o retrato da militância no pós-1964 em “Moço em estado de sítio”

Inédita até 2021, a peça "Moço em estado de sítio", publicada pela Temporal, revela um passo muito importante para a compreensão da obra de Oduvaldo Vianna Filho, um dos principais dramaturgos brasileiros do século XX. A peça evidencia o testemunho de uma geração de artistas e intelectuais militantes que sonhavam com a transformação da sociedade por meio do fazer artístico, e que assistiu sem possibilidades de resistência a implantação violenta do golpe civil-militar de 1964

- dramaturgia brasileira, teatro

“Mão na luva”: a modernidade de um Vianinha até agora desconhecido

Em 1984, ocasião da montagem de “Mão na luva” dirigida por Aderbal Freire Filho – à época, apenas Aderbal Júnior –, Vivian Wyler rememora a trajetória do texto teatral, desde sua escrita, em 1966, até sua redescoberta e empreitada nos palcos de São Paulo e Rio de Janeiro. Ao costurar depoimentos de Aderbal e de Marco Nanini, que vivenciou o protagonista Lúcio Paulo no espetáculo, com excertos da peça, a editora e jornalista revela as particularidades que conferem caráter único a esta obra em meio à trajetória de Oduvaldo Vianna Filho

- teatro, dramaturgia brasileira, história do teatro

Uma breve discussão sobre o teatro de temática indígena de Márcio Souza

Na primeira quinzena do mês de setembro, convidamos a atriz, pesquisadora e arte-educadora Howardinne Queiroz para compartilhar conosco parte de seus estudos sobre a tradição teatral brasileira do norte do país. No texto, a autora comenta a trajetória do grupo TESC, de Manaus, com foco no tratamento da temática indígena pelas mãos do dramaturgo Márcio Souza e a contribuição de suas obras para os debates pós-coloniais