- dramaturgia brasileira, história do teatro

Teatros negros no Brasil: aquilombamentos necessários

Convidamos nesta quinzena a escritora e pesquisadora Cristiane Sobral para nos apresentar um breve histórico da participação negra na arte teatral brasileira. Sobral comenta os célebres grupos e representantes dos teatros negros no país, sua atuação artística, política e pedagógica, e chama a atenção para a urgência de se fazer uma discussão sobre o tema também no teatro

- teatro, dramaturgia brasileira

O testamento de Vianinha

Publicada originalmente no jornal "Movimento" (1975-81), a crítica escrita pela jornalista Ilvaneri Penteado há mais de quarenta anos destaca aspectos do pensamento de Oduvaldo Vianna Filho sobre o fazer teatral e o fazer político. Ao lembrar a trajetória de censuras impostas às duas últimas peças do autor – "Rasga coração" e "Papa Highirte" –, Penteado resume certeiramente as razões pelas quais os dois textos permanecem atuais nos dias de hoje.

- dramaturgia brasileira

A atualidade de Augusto Boal: uma cena de "Revolução na América do Sul"

Dando continuidade à seção dedicada aos trechos de peças teatrais, que iniciamos há um mês com uma passagem de “A gaivota”, de Tchékhov, hoje trazemos aos leitores uma cena da peça "Revolução na América do Sul", de Augusto Boal (1931–2009)

- dramaturgia brasileira

O “atravessamento” da linguagem cinematográfica na peça teatral "Rasto atrás", de Jorge Andrade

A dramaturgia moderna busca retirar de cena a ilusão que cercou, por vários anos, as peças clássicas, românticas e realistas. Os rompimentos com a linearidade tradicional e as vivências do tempo interior são as marcas deste novo teatro, do qual Jorge Andrade (1922–1984) é um exímio representante

- dramaturgia internacional

"A gaivota" e as preocupações sociais de Tchékhov

Hoje, no Blog da Temporal, inauguramos uma seção de trechos teatrais com o objetivo de expandir, para além de nosso próprio catálogo, a discussão da dramaturgia contemporânea. No que diz respeito às referências e às influências dos autores contemporâneos, as obras canônicas podem nos dar pistas e aprofundar o entendimento dos textos atuais. O primeiro trecho selecionado é de "A gaivota", de Anton Tchékhov (1860-1904)